Em Papel, Parede e Pele / by AK47

[English]

Morning in SP. We woke up tired. Black coffee in the bar. We took a taxi. Driver was so fucking cool, deformed by the intense contact with the car traffic and the city. Smoke session before entering the pavilion.

There we were, a group of graffiti artists invited to a skateboard event. Many hours of freedom. Much POSCAS available. A lot of energy.

To get around boredom markers started the day scratching the paper. Little by little came to the walls. The POSCAS soon took the skin. The practice of such scrawl may seem like a choice of writer, but it is often compulsion over which it has no control.

Who has what to say writes. Who does not, watch.

- - - 

[Português]

Manhã em SP. Acordamos cansados. Café no botequim. Pegamos um táxi. Motorista altamente sangue bom, deformado pelo convívio intenso com o trânsito e a cidade. Sessão fumaça antes de entrar no pavilhão.

Lá estávamos nós, um grupo de grafiteiros convidados para num evento de skateboard. Muitas horas de liberdade. Muita POSCAS à disposição. Muita energia guardada.

Pra contornar o tédio os marcadores começaram o dia riscando o papel. Pouco à pouco passaram para as paredes. As POSCAS logo tomaram a pele. A prática desse tipo de rabisco pode parecer uma escolha do writer, mas muitas vezes é compulsão sobre a qual não tem controle.

Quem tem o que falar escreve. Quem não tem, assiste.

(Pictures by Karol Agante and AK47. Text by AK47. Special shout out to SHIRO ONE, POISON and SOTAQ.)