Write of Passage / by AK47

Write of Passage era o nome do evento. Uma mega produção da Mass Appeal e da Red Bull com ambições gigantes, para um público mais do que seleto. Fomos convidados para entrar nos Studios da Red Bull em NYC, onde foram instalados todos os aparatos para promover um circuito bastante completo de atividades em torno do nascimento, história e disseminação do graffiti pelo mundo. O evento foi montado para pouquíssimas pessoas, e nem me pergunte como foi que o convite pra participar caiu em nossas mãos. Sorte, eu acho!

No cardápio dessa produção muitos workshops fechados com peças chaves dessa cultura urbana como COPE2, CLAW, CHINO, CES, DAZE, HAZE, Henry Chalfant, KEO e SNAKE 1. As mesas de discussão abriram espaço para falar do graffiti original, da modernização e domesticação dessa arte, trabalhos comerciais, a relação do graffiti e design ... e até colocou alguns dos grafiteiros mais procurados das décadas de 80 e 90 de frente com representantes da polícia. Tudo muito atual, instrutivo demais, roots, real. Oportunidade pra estudar e falar do graffiti com "as crianças que o inventaram" nas década de 60 e 70.

Além disso uma exposição com peças únicas ocupava dois andares do prédio, com telas de DONDI, extintores da KRINK, tags por FALSE, antigas latas de spray e marcadores caseiros, blackbooks surreais de SERVE, pedaços dos trens originais da MTA com centenas de tags, coleções de stickers de mais de 30 anos de idade, e dezenas de antigos artefatos reais das invasões aos "estacionamentos de trens" que a galera mais nova só conhece pelos documentários ... casacos de guerra, disfarces usados pelos invasores, alicates de cadeado, cortador de correntes e luvas anti-arame-farpado. Dispensável falar que foi a exposição mais incrível que já visitei ... não tinha uma forma mais bacana de trazer de volta os dias que precederam o graffiti que vivemos atualmente.

Pra fechar (ou melhor, pra abrir) com chave de ouro, o Write of Passage foi inaugurado por uma festa só para convidados, onde a gente teve a regalia de entrar sem depender de fila. Ahhhh se todo dia fosse assim, haha. Além de sair de lá quicando por causa dos galões de vodka com Red Bull ingeridos, a cabeça fervilhava por conhecer pessoalmente alguns dos caras que transformaram o cenário urbano do planeta inteiro pra todo o sempre ... como LEE, SKEME e SEEN.

No meio de tanto dinossauro do graffiti, acabei me sentindo moleque denovo.

(Fotos por Karol Agante e AK47. Texto por AK47. Vídeos oficiais da Mass Appeal e Red Bull)