MOF - Pelas Lentes do Inglez (com "Z") / by AK47

Promessa é dívida, certo? ... Então, cumprindo o que havia dito no nosso primeiro post da cobertura do MOF, hoje colocamos no ar algumas fotos de uma figuraça residente do Rio de Janeiro, que mostram o Meeting Of Favela de um ponto de vista bastante peculiar, haha.

O monstro a que eu me referia é Hugo Inglez (com "z" por favor), fotógrafo que mais parece um personagem de um filme do Tarantino, haha. Já conheço esse cara há algum tempo, e tive a oportunidade de conversar bastante com ele durante a produção do evento em meio as tempestades tropicais tradicionais do MOF, e os batidões do baile funk da Vila Operária.

Antes de mostrar parte do repertório de imagens capturadas por esse cara, a gente cola um pedaço de um bate papo que explica um pouco mais sobre o trabalho dele:

>>> Qual é teu nome real? É Hugo Inglez mesmo? Haha ... pode parecer piada, mas até hoje não sei se é apelido ou é nome mesmo.
É meu nome de verdade, Hugo Inglez. O mais irônico é que é um sobrenome português, aparentemente minha família tem umas boas centenas de anos de estrada, e um tatararataratatara avô meu foi tesoureiro da coroa portuguesa na época da Revolução Industrial, então viajava direto para a Inglaterra e ficou conhecido assim. O porquê dele ter escrito o Inglez com 'z', eu não sei, mas agradeço ao cara pela sacada.

>>> Há quanto tempo você usa a fotografia como ferramenta de expressão? Você faz isso profissionalmente, ou é só um hobby?
Há uns 3 anos eu era um cara frustrado e de mal com a vida, então abandonei tudo, larguei o escritório de advocacia em que trabalhava e comprei uma câmera. Meu padrasto é um dinossauro da fotografia analógica e me ensinou tudo o que ele sabe (o que não é pouco), e eu fui para a rua evoluir na raça. Hoje eu fotografo profissionalmente, e mais importante que isso, me considero um cara extremamente de bem com a vida.

>>> Qual a tua relação com a Street Art? Além de registrar o trabalho de outros artistas de rua, você também faz graffiti ou algo do tipo?
Minha especialidade é fotografia de rua, então acho que foi natural o meu caminho ter cruzado com o da arte urbana. Nunca fui muito do desenho, então deixo os rabiscos para os especialistas e apenas faço o registro, que considero importante por ser imune à política de cidade cinza do governo, que não demora a cobrir as artes. Também busco retratar os trabalhos com a mesma admiração e respeito com que os vejo sendo feitos. Ganhei a amizade e o respeito de vários artistas devido a essa postura, o que na realidade é a única motivação que eu preciso para continuar com o trabalho.

>>> Muitas vezes ví seu nome relacionado à uma tal de "Galeria Novecinco", e queria que você falasse um pouco sobre ela. Qual é o teu papel nesse projeto? O que é esse espaço? O que vocês produzem lá? Como as pessoas que estão lendo esse post podem saber mais sobre vocês?
A Novecinco é um coletivo que fundei com o meu irmão há um ano e pouco. Somos dez, de todas as origens e vertentes ... ilustração, graffiti, tatuagem, fotografia, vídeo e por aí vai. Acredito que essa versatilidade produtiva seja o nosso diferencial, além de seguirmos uma filosofia voltada unicamente para a evolução enquanto artistas. Por isso, escolhemos nossos projetos a dedo e mantemos uma postura lowprofile, baseada apenas na divulgação de trabalhos para um público interessado. Atualmente nós estamos com um homestudio, onde eu e meu irmão moramos, e que possui uma pequena galeria de arte, um ateliê e uma station de tatuagem. Aqui nós tramamos, produzimos e estamos sempre recebendo artistas de fora. 

>>> Quais os contatos da Galeria Novecinco?
Para conferir o nosso trabalho, é só curtir a fanpage (www.fb.com/novecinco), e para contato de trabalho, é só mandar mensagem por lá mesmo ou pelo email galerianovecinco@gmail.com. O nosso site deve sair agora em Janeiro.

>>> Já faz algum tempo que vejo sua ilustre presença no MOF. Queria saber como ficou sabendo do evento, e como se envolveu tanto com a produção. Hoje você é presente no evento apenas como apreciador da arte, ou faz parte da equipe de produção?
O BOBI, BUNYS e COMBONE são amigos de longa data, fazem parte da Novecinco e são os organizadores do MOF, junto com o KAJAMAN, que é o anfitrião. No início, eu ia apenas para somar minha contribuição de conteúdo a uma proposta de resistência cultural que me instigava muito, mas como você sabe, a atmosfera do MOF é apaixonante e eu sempre tive disposição, então fui me envolvendo cada vez mais. Há duas edições que eu recebo a camisa da produção, então acho que posso me considerar da equipe.

>>> Sei que a chuva atrapalhou mais uma vez o andamento do MOF, mas pelo que a gente pode ver pelas tuas fotos, parece que tua câmera é à prova d'água, haha. Como é que você faz pra se virar num meio meio tão hostil (e sujo) como a rua?
A chuva também faz parte da equipe de produção, todo ano ela bate ponto. A minha câmera é à prova de água, fogo, tinta, porrada, poeira, tumulto, areia e roubo; é praticamente o Chuck Norris. Acho que quando você se propõe a levar um equipamento caro para o ambiente mais imprevisível que existe, que é a rua, o cuidado se torna um fator de sobrevivência, até porque, sem a câmera, não existe conta paga nem comida na mesa, então perdê-la não é uma opção. Eu entendo a câmera como uma extensão do meu corpo, e como não pretendo ter nenhum membro amputado, me viro de acordo com a situação. No MOF, o jeito foi improvisar uma proteção com micropore e o plástico em que veio embalada a camisa do evento. Eu sou muito orgulhoso de trabalhar com a mesma câmera desde o início, acho ela linda com as marcas de tinta e cicatrizes de funcionamento, é de certa forma uma sobrevivente, reflexo de todos os perrengues pelos quais eu já passei. 

>>> Pra quem quiser ver mais sobre teu trabalho, como fazer pra ver mais das suas fotos?
- FACEBOOK - www.fb.com/inglezcomz
- SITE - inglezcomz.tumblr.com ... (meu novo site sai agora no início do ano)
- INSTAGRAM - eu toco o instagram da Novecinco bem esporadicamente (@novecinco). Os artistas alimentam o #novecinco, que eu acho bem interessante.
- VIMEO - www.vimeo.com/hugoinglez

>>> Cada vez que te encontro é inevitável perceber que você está cada vez mais branco e cada vez mais tatuado, haha. Já sabe dizer qual vai ser a próxima tattoo?!
Próximas. Quando você tem um estúdio de tattoo na sala e um irmão tatuador, o processo acaba se tornando contínuo. 

>>> Man, desculpa a pergunta idiota ... mas você tem um irmão gêmeo idêntico, ou sou eu que ando bebendo demais?
Sim, minha mãe apertou o repeat na gravidez, o nome dele é Rique Inglez, é artista plástico e tatuador fodão. Mas talvez você esteja bebendo demais sim, proponho um brinde a isso!

>>> Diz aê se tem algum projeto novo em mente. Dá pra antecipar alguma das tuas produções para 2014?
Desenvolvi uma nova linguagem artística para minha fotografia, estou iniciando a produção, bastante empolgado. Também voltei a escrever, tirei da gaveta um antigo projeto de livro, que eu não tive a disciplina para tocar quando moleque. De qualquer forma, 2014 parece que vai ser um ano bem legal.

>>> Pra terminar, tem alguma exposição sua em cartaz?
Em 2014 vou expor na galeria que vamos inaugurar na loja da Jeffrey, no Leblon, ainda não decidi o mês, mas é só acompanhar pelo meu facebook e da Novecinco.

...

Sem mais enrolações, segue abaixo uma seleção de clicks do Hugo, mostrando um pouco do Pré-MOF e do decorrer do evento na Vila Operária. Ainda essa semana, outras sessões de fotos vão para o ar, para delírio da galera, haha.

(Fotos e por Hugo Inglez, texto por AK47)