Paredes Apagadas da História do Graffiti / by AK47

Sim, o 5 Pointz, um dos picos mais respeitados e conhecidos de todo o mundo quando se fala de graffiti e street art foi apagado. Neste exato momento o prédio ainda está lá, de pé, mas todas as paredes do lado de fora e de dentro foram cobertas com tinta branca pelo proprietário do prédio. No texto a seguir procuro ser imparcial. Minha intenção não é dizer quem está certo ou errado, apenas falo o que presenciamos de perto.

O prédio é propriedade de Jerry Wolkoff. O lugar esteve "parcialmente abandonado" durante os últimos anos, causando acidentes graves a pessoas que alugavam suas dependências (e que nunca conseguiram receber suas indenizações). Um dos exemplos de acidente mais comentados na mídia internacional foi a queda da escada externa por falta de manutenção (veja esta link: http://www.nydailynews.com/new-york/queens/collapse-stairwell-leads-vacate-order-lic-5pointz-article-1.364015), o que causou grande prejuízo nas vítimas envolvidas.

Na última década todas as artes pintadas nas paredes do local foram feitas com autorização do proprietário. Em outras palavras, o prédio não foi vandalizado pelos artistas, pois tinham autorização para trabalhar.

Há alguns meses o Sr. Wokoff decidiu que derrubaria o prédio para a construção de um condomínio de apartamentos de luxo, enquanto um grupo de artistas decidiu lutar para manter o prédio intacto como patrimônio cultural. Algumas poucas pessoas acham que o proprietário está certo, alguns milhares defendem a causa dos artistas.

Nessa temporada em que estamos em NYC, tive a oportunidade de pintar em diversas paredes do prédio. Uma das fachadas de mais difícil acesso foi coberta com um grande trabalho feito por mim e pelo artista CHEMIS da república Techa. Esse trabalho foi catalogado e registrado, e levado para o "U.S. Copyright Office" como uma das obras âncora na defesa do 5 Pointz.

Sendo assim, participei de algumas sessões legais na corte de NYC, tive a oportunidade de ver o projeto apresentado pelo Sr. Wolkoff em mãos.

A questão é que no sábado passado aconteceu no pátio interno do 5 Pointz, um dos eventos mais importantes dos últimos tempos, onde a comunidade do bairro do Queens (assim como de toda a cidade) compareceu em peso, lutando pela manutenção do prédio. Segundo relatos de moradores do próprio bairro, o prédio é a única atração dessa área da cidade, atraindo pessoas de todas as idades, turistas, fotógrafos, historiadores, artistas de todas as áreas. Vários relatam ainda que depois da criação desse espaço, a criminalidade caiu muito, e o que era apenas "reduto de prostitutas e traficantes" agora era atração para turistas dos 4 cantos do mundo. O evento chamado de "Save 5 Pointz Rally" foi incrível, e milhares de assinaturas se acumulam pedindo a manutenção do prédio.

Enfim, logo depois deste evento, na madrugada da última terça feira, o prédio sofreu um atentado, e quase todas as obras foram cobertas por tinta branca. O trabalho foi feito por um grande grupo funcionários estrangeiros que não falavam inglês, contratados especificamente para apagar as obras. Alguns usavam elevadores para alcançar os painéis mais altos, outros usavam rolos e escadas. A pintura começou de dentro pra fora, tentando não chamar a atenção, e a fachada da frente foi a última a ser apagada. A polícia de NY fazia a escolta dos funcionários, e alguns amigos quase foram presos por questionar a ação e tirar fotografias.

O resultado dessa bela ação de "refoma do 5 Pointz" pode ser visto nas imagens abaixo:

Logo depois do incidente, no por-do-sol de terça feira, centenas de pessoas de todas as partes do estado de NY correram para o 5 Pointz como sinal de solidariedade. Muitos tinham velas e cartazes em mãos. A imprensa do mundo todo também estava presente, e o clima era de luto. Ao olhar para as paredes pudemos perceber que o prédio não foi pintado homogeneamente, pois algumas obras foram apenas rasuradas.

Ao conversar com a advogada do caso em defesa do 5 Pointz, Jeannine Chanes, fiquei sabendo que o processo de decisão ainda está em andamento, e o juiz não deu a resposta final de quem ficará com o prédio. Muitos dizem que essa atitude foi uma tentativa de abalar a comunidade artística e enfraquecer o movimento. Outros acham que foi apenas uma afronta.

O final da história a gente ainda não sabe, pois ainda tem muita coisa pra ser resolvida na corte. O que sabemos com é que a luta não terminou ainda, e que os artistas estão mais unidos e motivados do que nunca. SIM, a perda de 11 anos de obras de arte é irreparável, e sabemos que não dá pra voltar atrás. Mas o povo continua lá, escrevendo suas mensagens nos cartazes.

SAVE 5 POINTZ!

Não é por mim, não é pela minha arte, não é apenas por um simples prédio!

SAVE 5 POINTZ!
É pelo Queens, é por NYC, é pelo coletivo, é pela Cultura Hip Hop, é pela Rua!

...

(Fotos do local por Karol Agante. Fotos de referência retiradas de sites na internet. Depoimentos e fatos contatos por amigos que terão seus nomes ocultos para manter sua privacidade. Texto final por AK47.)