Cultura Negra em Bed-Stuy / by AK47

O nome da vizinhança de Bed-Stuy vem da união dos nomes da "Vila de Bedford" e da área de "Stuyvesant Heights" ... e quem assiste aos seriados de TV da cultura negra, provavelmente já ouviu falar muito nesse lugar. A história do personagem Cris, do seriado "Todo Mundo Odeia o Cris" se passa exatamente nestas ruas no início da década de 80 ... e é aqui que eu e Karol passamos grande parte do nosso tempo.

Desde meados dos anos 30 esse aglomerado de quadras é o centro da cultura negra em NYC, quando parte da população do Harlem saiu de lá por causa da superlotação. Desde então Bed-Stuy passou por muita coisa no seu histórico: violência pela disputa de território entre gangs, casos polêmicos de violência policial, época de intensas manifestações políticas diversas e crise social pelo mercado de drogas e suas consequências. Como se diz por aqui ... "these old times used to be tuff times".

(as fotos acima foram coletadas na internet,
e são vinculadas neste post como referência histórica apenas)

Ao parar pra conversar com o pessoal da velha guarda que conheci aqui por perto, todos concordaram com coisa: na década de 70 e 80, Bed-Stuy era um dos lugares mais tensos do Brooklyn, onde brigas sérias na rua aconteciam por causa de 25 centavos ... ou menos. Muitos filmes mostram essa rotina difícil de muita gente que morava aqui (inclusive o bem humorado seriado "Todo Mundo Odeia o Cris") ... e que visivelmente deixou marcas na rotina da gente que mora aqui agora.

Inevitável perceber a evidente relação íntima entre Bed-Stuy e o movimento Hip Hop. Neste bairro as crianças de 3 ou 4 anos já andam de Air Jordan no pé e New Era na cabeça, velhos simpáticos fazem beat box na rua enquanto jogam dominó e tiazonas pretas lindas dançam na calçada as batidas ritmadas que saem de dentro das lojas de disco. Pra quem tem a história viva nos fones de ouvido, uma referência ao Notorious B.I.G., que neste vídeo rima numa das esquinas aqui pertinho, ainda aos 17 anos de idade.

Hoje o lugar tem uma cara um pouco diferente, como consequência da injeção de recursos em todas as áreas durante os últimos anos. Atualmente é um polo de estudantes universitários do mundo todo, que moram nos novos edifícios que ocupam o espaço de antigos casarões.

Há alguns dias atrás participamos de um festival de rua incrível com os vizinhos das nossas quadras, chamado Restoration Rocks Music Festival ... que contou com artistas como Questlove e Big Daddy Kane, dentre outros. Muito bacana estar num show com famílias inteiras se divertindo ... desde crianças de colo até os mais velhos em suas cadeiras de roda. Todos sabiam as letras das músicas, todos sabiam dançar como se já tivessem nascido sabendo. Aqui em Bed-Stuy o Hip Hop é atributo genético ... fato!

Feira livre com pinturas africanas no rosto das crianças, workshops de street dance para os maiores, venda de discos jamaicanos, comidas típicas, roupas e panos originais da cultura afro. Tudo lindo ... harmonia entre todo mundo.

Nossa vida em viagem pelo Keep It Real é bastante incerta, e não temos idéia de onde estaremos morando amanhã ... mas hoje ... hoje Bed-Stuy é nossa casa.

Obrigado aos que nos receberam.
Bem vindos aos novos visitantes.

Essa é nossa Bed-Stuy!

(Fotos por Karol Agante e texto por AK47)